terça-feira, 9 de julho de 2013

Acidentes com escorpião crescem 224% em 10 anos

O número de acidentes com escorpiões no Distrito Federal aumentou 224% nos últimos 10 anos. Em 2002, foram 130 casos.

No ano passado, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, contou 421 ocorrências. A tendência deverá se manter em 2013. Nos primeiros seis meses deste ano, 204 pessoas foram atacadas pelo animal peçonhento.

A procura pela prevenção também cresceu, principalmente após a morte de um menino de 17 meses vítima da picada em uma creche no Guará. Um comportamento mais precavido, porém, é recente.

Quatro empresas de dedetização informaram ter dobrado a quantidade de atendimentos no último ano. O serviço custa em média R$ 200, mas o Manual de Controles de Escorpiões do Ministério da Saúde e a Vigilância Epidemiológica não recomendam esse procedimento para eliminar o animal.

De acordo com o biólogo da Diretoria de Vigilância Ambiental do DF (Dival), Israel Martins, os venenos pulverizados não funcionam pelo comportamento do animal. “Os escorpiões ficam muito tempo imóveis, sem comer, sem respirar e escondidos em locais de difícil acesso. O odor só o irrita. Assim, ele vai para a superfície, e os acidentes acontecem”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário