quinta-feira, 11 de julho de 2013

Ampliadas as fontes de doação de medula

A coleta de sangue de cordão umbilical e placenta, utilizado para o transplante de medula óssea, foi ampliada na rede pública de saúde do DF, e ocorre também no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), além da maternidade do Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB).

"Essas células (de sangue) têm sido utilizadas como fonte alternativa de transplante de medula óssea nos pacientes que necessitam de transplante e que não possuem doadores compatíveis", explicou a médica da Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), Margarida Carneiro.

O FHB realiza a coleta de sangue de cordão umbilical e placenta para transplante de células tronco, responsáveis pela formação das células sanguíneas.

No HMIB o procedimento é feito desde maio do ano passado, e no HRC, foi implantado há duas semanas.

Segundo Margarida Carneiro, a coleta é realizada nos dois hospitais por enfermeiros do Banco de Cordão da Fundação Hemocentro de Brasília, treinados e capacitados pelo Instituto Nacional do Câncer.

DOAÇÃO -

A doação do cordão umbilical do recém-nascido é voluntária e, quando autorizada pela mãe do bebê, é feita após o nascimento, no momento em que ela é separada da criança.

Para ser doadora, a gestante tem que cumprir alguns requisitos: estar em boas condições de saúde, ter idade mínima de 18 anos, idade gestacional a partir de 35 semanas no momento do parto, ter feito no mínimo duas consultas de pré-natal documentadas, e não possuir doenças como o câncer ou anemia.

O sangue coletado é enviado para o Hemocentro para ser separado e congelado e poderá ser utilizado em pacientes de toda a rede de saúde incluídos no programa de transplante de medula óssea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário