sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Alemães trarão tecnologia para pontes e viadutos

O governador Agnelo Queiroz assinou, ontem, em Colônia, na Alemanha, um acordo de cooperação com o Instituto Federal de Pesquisa de Rodovias - BAST (Dier Bundesanstalt Für Strassenwesen), ligado ao Ministério dos Transportes alemão, do qual o GDF receberá tecnologia inédita para monitorar o desgaste de pontes, viadutos e monumentos de Brasília.



O representante do governo alemão, o diretor da Bast, Jurgen Krieger, disse que não haverá custo para o cumprimento do acordo, por ele já fazer parte do programa de intercâmbio internacional da entidade. Um grupo de técnicos brasilienses participou de workshop na Bast e, em dezembro, os alemães farão seminário na capital federal.

Para Agnelo, o convênio, que será administrado pela Novacap, consiste em desenvolver processo de monitoramento de obras como pontes, viadutos, monumentos e até mesmo o novo Estádio Nacional Mané Garrincha. Trata-se de uma ação preventiva para reduzir consideravelmente os custos caso haja necessidade de reparos, além de representar mais segurança para a população.

''O objetivo é fazer uma ação preventiva, com manutenção dessas estruturas ao longo de muitos anos, com absoluta segurança para a sociedade'', enfatizou.

Referência internacional 

Com 626 mil quilômetros de estradas construídas e vasta experiência na manutenção de obras rodoviárias, a Alemanha colaborará para que Brasília se torne referência nacional na área. A captação dessa expertise será útil até mesmo para o governo federal, que tem forte demanda dessa tecnologia.

''Pela primeira vez, aplicaremos uma tecnologia de ponta, e será uma grande contribuição para a engenharia brasileira e também para a manutenção das nossas obras'', destacou o governador.

O presidente da Novacap, Nilson Martorelli, observou que a cooperação técnica tem como base a experiência da Bast, que faz o monitoramento de obras públicas há mais de 15 anos. O trabalho da companhia consiste no acompanhamento das estruturas, de modo que possam ser feitas intervenções ao longo de sua vida útil. O objetivo, segundo ele, é evitar grandes gastos quando as obras chegarem ao ponto em que há necessidade de grandes investimentos em recursos públicos.

Acompanham a comitiva oficial o secretário de Ciência e Tecnologia, Glauco Rojas; o secretário-chefe da Assessoria Internacional do GDF, Odilon Frazao; o presidente da Fundacao de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), Alexandre Gouveia; e o deputado distrital Washington Mesquita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário