quarta-feira, 18 de março de 2015

Governo vai segurar as nomeações

As esperanças dos servidores de aumentar o número de concursos públicos e de convocações para repor o quadro de pessoal — uma das reivindicações da campanha salarial de 2015 — não deverão se concretizar tão cedo. Ontem, em pronunciamento na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), do Senado, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, deixou claro que o ajuste das contas públicas é prioridade e, em consequência, as nomeações tendem a ser postergadas para não atrapalhar o esforço da equipe econômica em atingir a meta de superavit primário (economia para pagar os juros da dívida), de R$ 55,3 bilhões no caso do governo federal.

“Já fiz vários concursos e entendo a ansiedade. A intenção é efetivarmos os concursados o mais rápido possível, mas dentro de nossa limitação fiscal. O governo administra a velocidade de admissão conforme o prazo de validade dos certames e a execução orçamentária”, disse Barbosa. Como exemplo, citou o concurso para auditor-fiscal, válido até julho. Mas não indicou quando ou quantas pessoas serão chamadas. 

O ministro afirmou ainda que reestruturações de carreiras serão tratadas com cautela. Ao responder a uma indagação do senador Hélio José (PSD/DF) sobre a equiparação salarial dos analistas de infraestrutura a servidores que exercem funções semelhantes na Esplanada, Barbosa afirmou que o tema será tratado em bloco. “As negociações que envolvem salários e carreiras serão em conjunto”, resumiu. 

Barbosa revelou que não há intenção de reduzir nem o número de ministérios e nem a quantidade de cargos de confiança. “Alguns ministérios foram criados para dar mais relevância a alguns assuntos. Foi uma decisão política. Eles representam muito pouco em termos de gasto adicional em relação à importância política que têm”, disse.

terça-feira, 17 de março de 2015

Confira 18 links para aprender (ou praticar) idiomas de graça

Confira aplicativos, cursos online e podcasts para aprender novas línguas. Lista inclui inglês, espanhol, alemão, chinês, italiano e francês.

Curso Preparatório para Concursos Públicos é composto por 15 videoaulas e cinco videoconferências

O nível de proficiência da população brasileira em outros idiomas continua baixo. Segundo um levantamento feito pela Michael Page, empresa de recrutamento, apenas 25% dos profissionais contratados pela empresa em 2014 falavam espanhol fluente ou apresentavam um nível avançado no idioma. Em outras línguas a situação é ainda pior: apenas 3% conseguem se comunicar em francês, 2% em alemão e 0% em chinês.

No currículo, o inglês não é mais considerado um diferencial. "No mercado de trabalho atual, o conhecimento do inglês é quesito eliminatório nos processos seletivos", diz Fábio Cunha, gerente executivo da Michael Page. Em relação a cargos executivos, 80% das vagas demandam conhecimento de inglês. Um segundo idioma é, portanto, um diferencial valorizado pelas empresas. "Um bom repertório em outros idiomas, muitas vezes, pode demonstrar uma habilidade comunicativa do candidato", diz Cunha.

Além disso, a fluência em outros idiomas pode impactar no holerite. Segundo pesquisa salarial da empresa de consultoria Catho, o inglês no currículo de profissionais juniores, plenos e sêniores pode aumentar em até 81,79% o salário em comparação a profissionais que não falam o idioma. No nível de gerência, o aumento é de 64,35%.

quinta-feira, 5 de março de 2015

2º Curso de Capacitação para Síndicos e Gestores de Condomínio no DF

Nos últimos seis anos, o Mercado Imobiliário e a economia do país vivem uma união perfeita. A facilidade para a compra da casa própria, com o crédito fácil, taxas de juros sedutoras e a crescente demanda por imóveis de alto padrão, impulsionou a construção civil a trabalhar a todo vapor. Considerando o atual crescimento imobiliário no Brasil e levando em consideração os mais de 10.000 edifícios residenciais e comerciais em todo Distrito Federal, que serão construídos ou ficarão prontos nos próximos 3 anos, a A&S Ação e Solução Condominial, lança seu curso, a fim de que o profissional tenha a base necessária para atuar nos mais diversos condomínios, de pequeno e grande porte, condomínios-clubes, comerciais e residenciais, como síndico ou gestor, com objetivo de se inteirar sob todos os aspectos as condições para melhor cuidar e valorizar seu patrimônio, sua casa própria.



Assim, a profissionalização do Síndico torna-se imprescindível tendo em conta que os condomínios começam a atuar como empresas estruturadas, e esses profissionais são representantes legais da massa condominial, em repartições públicas, federais, estaduais, municipais, autarquias, tribunais, no comércio e em bancos.

Este curso proporcionará a capacitação adequada para atender de forma eficaz as necessidades do condomínio, habilitando o profissional para uma correta Gestão Condominial e evitando passíveis indesejados.